Posts Tagged ‘True Blood’

Em dia com True Blood

Ai, ai… Dizaê, tem como NÃO amar True Blood? Não, né?!

True Blood é tão brega, mas tão brega, que chega a ser sensacional. E não é só brega, ela tira sarro dela mesma. Isso faz com que seja extremamente interessante assisti-la, com que não liguemos para o roteiro e história fraquinhos e com a falha entre os dentes da Anna Paquim. Desculpa, não resisti.

Uma série de vampiros que tem blood gelato; espumante de sangue, cuja pessoa só se alimentou de tangerina por não sei quanto tempo; vampiro que aguenta ficar seis horas seguidas fazendo sexo e que caçoa do que não fica todo esse tempo; merece ser assistida.

Mas True Blood é uma série sobre pessoas, ou vampiros, ou lobisomens ou metamorfos. O melhor da série não são as piadas bobinhas, porém inteligentes; são as personagens.

Como eu AMO a Jessica. Ela é simplesmente perfeita. É uma adolescente, que se transformou em vampira. Ela, além de se acostumar com a ideia de ser adulta, tem que se acostumar com a ideia de ser vampira e lidar com as transformações da vida e do corpo dela. E essa história pode render. Render muito. Pra começar a história dela se virgem. Que sacada foi essa? Ela era virgem antes de ser transformada, portanto assim permanecerá para sempre. Tadinha. Mas que é interessante, é.

Outra personagem que eu AMO é a Pam. Ela é mal-humorada, ríspida e irônica na medida certa pra ser PER-FEI-TA. Como eu ri dela falando das crianças, na segunda temporada: “Vocês me deixam tão feliz por não ter tido um de vocês!”. É minha personagem favorita. Se ela morrer, eu largo True Blood.


E tem o Laffayete. O único personagem homano que eu realmente gosto. Como esse cara é engraçado. O cara é um cozinheiro, um traficante, um dono de site pornô… Muito multi-task.

Essa vibe bissexual dos vampiros é tão legal. A rainha Sophie Anne falando que não gostava de sexo com homem desde não sei quando me fez rolar de rir. E quando ela disse pro Bill parar com a bobeira de macho alfa com o Eric e pegar ele logo de vez que ela queria dar uma de voyer?! NUNCA ri tanto na minha vida. A Rachel Woods tá perfeita nesse papel.


Mas nada de deixou mais perplexo e maravilhado do que o fato dos vampiros chorarem sangue.


E assim True Blood prossegue: bem trash e bem apaixonante/viciante. Se não assistiu, corra, dá tempo de assistir a terceira juntinho com os EUA, ou com a HBO brasileira.

Valeu e até a próxima!

A beleza do midseason

Ahh, o midseason mal começou e já tá dando resultados na minha vida. Além de eu poder respirar, já comecei a colocar em dia coisas atrasadas e assistir coisas novas (apesar disso não ser uma coisa boa). Como tive várias surpresas nesse feriado, compartilharei algumas com vocês. =)

True Blood

Já era. Viciei. Viciei ao ponto de querer os DVD’s da série, junto com os de Grey’s e House. Pra ter uma idéia, só ontem eu assisti 5 episódios, de uma hora cada. Pois é. E olha que nem vi o tempo passar. Eu fui assistir essa série por causa dos posteres, que eu já coloquei aqui no blog, e foi a melhor surpresa que eu já tive em muito tempo.


O piloto é bem chato, mas hoje em dia, poucos são bons e os que são viram uma série Lost. Ops! Enfim, True Blood é um suspense romântico, que te deixa preso à história e tem excelentes cliffhangers. A série é sensual na medida certa, apesar de algumas cenas de sexo explícito serem um pouco desnecessárias. Mas, e daí? Só tem gente bonita nessa série. Acho que termino a primeira temporada essa semana, ainda. Tá muito bom.

True Blood é mesmo tudo aquilo que diziam sobre ela. UHUL! Finalmente alguma coisa pra me animar depois do fim Daquela-Que-Não-Se-Deve-Falar (Lost).

Hung

Comecei a assistir essa série (também da HBO) e ela é completamente diferente do que eu pensei. Ela é mais parada e nada engraçada, apesar de ser uma comédia. Já assisti quatro episódios e ainda não recomendo. Vou assistir o quinto, se não engatar, eu largo.

A série é sobre um professor que acaba virando um gigolô por necessidade financeira. Como ele é o cara mais bem-dotado da cidade (daí o nome da série), ele vê na profissão mais velha do mundo a possibilidade de ganhar dinheiro fácil. Juro que pensei que seria mais engraçado. E por mais contraditório que isso soe, Hung tem menos cenas de sexo que True Blood.

Sex And The City

Com Sex And The City o negócio foi o seguinte: sabe aquela série que você quer ver, mas tem preguiça de baixar? Então, eu assisti o primeiro filme esse final de semana, pra poder assistir o segundo no cinema. E eu curti. Curti bastante. Tanto que fui correndo baixar a série. Baixei e assisti o piloto.

É meio estranho assistir o filme e depois a primeira temporada da série. As atrizes estão completamente diferentes. E a narrativa é um pouco diferente também, mas nada que a gente não se acostume. Tô animado, vamos ver =)

*

The Good Wife progride lenta e constante. Tá muito bom. MUITO mesmo. Se ainda não assistiu, corra e baixe nesse instante.

*

Nurse Jackie evolui lindamente. A história começou a se complicar e estamos vendo coisas que pensávamos que não seria possível. Tô curtindo a O’Hara boladona e a Jackie cagona. HAHAHAHA

*

United States of Tara. É. Faz anos que não comento, né?! Mas essa semana sai um puta post sobre ela. Logo depois de eu ir no cinema assistir Sex And The City 2.

Bom, galera. É isso.

Valeu e até a próxima!

Midseason = Cinema

Por mais que eu ame minhas séries, não tem nada melhor que o midseason. É nele que a gente põe em dia nossas séries atrasadas, assistimos filmes que não vimos no cinema e lemos livros que caem nas nossas mãos. E eu já comecei minha maratona de midseason: tô colocando The Good Wife e Community em dia, vou assistir mais uma temporada de Six Feet Under e tentar assistir, ao menos, a primeira temporada de True Blood. Comecei a baixar Luther, também. UHUL!

Mas eu tô aqui pra falar de cinema. É, tô fugindo do tema do blog, mas nem ligo… meu blog, minhas regras. hahaha.

Esse final de semana, eu assisti vários filmes: A Proposta, A Ilha do Medo, Legião (com a Kate Walsh, a Drª Addison de Private Practice e Grey’s Anatomy) e Tinha Que Ser Você. Eu vou falar dos dois melhores.

A Ilha do Medo

Putz! Que filme bom! Ele começa meio paradinho, mas conforme a trama se desenvolve você começa a se envolver com o filme. Sente medo, estresse, raiva, fica ansioso. Eu não sou um grande fã do Martin Scorsese, nem do DiCaprio, mas esse filme vale a pena! Ele mexe com sua cabeça,

A Ilha do Medo é um thriller que te envolve e te confunde. Filminho complicado! Assistam!

Tinha Que Ser Você

Tinha Que Ser Você é aquele filminho ‘água-com-açucar’ que a gente vê e gosta. A história é meio batida: duas pessoas se conhecem, se apaixonam, mas moram a um oceano de distância. Mesmo assim, o filme vale só pela Emma Thompson e pelo Dustin Hoffman. É um filme que se assiste num sábado a tarde. =)

Bom, é isso. Não vou desenvolver muito sobre o filme porque posso estragar as surpresas.

*

The Good Wife tá ótima! MUITO boa mesmo. O problema dessa série é que se você ficar mais de uma semana sem assistir ao menos um episódio, você esquece da série.

*

Community só melhora! Morro de rir com Abed. Vejo muito de mim nele, devo dizer.

*

Assim que eu terminar de ver as temporadas de ambas as séries, juro que faço um post.

*

Valeu e até a próxima!

Pôsteres

Vários pôsteres de séries tem saído na internet. Vou postar alguns aqui.

True Blood: Tem SEMPRE os pôsteres mais legais. Vou até começar a assistir.

"Amigos não deixam amigos beberem amigos."

"Desaparecido"

"Pegue seu refil."

"Não desejarás teu vizinho."

"Nada como uma boa xícara de Joe."

Nurse Jackie

Treme

United States of Tara

Gossip Girl

"A 'vaca' está de volta."

Cool, né?! Espero que tenham curtido, porque eu curti muito.

Valeu e até a próxima!