Posts Tagged ‘Treme’

Hanging in the Treme

Quase um ano depois da estréia na HBO americana, eu terminei de assistir à primeira temporada de Treme. É a segunda está em vias de estrear e eu aqui… agradecendo a Deus por ter terminado a primeira.

O problema com Treme é que os primeiros 4 episódios foram muuuuuuuuito parados, quase não sendo, aí eu desanimei. Mas é surpreendente como a série melhora e dá uma acelerada depois do quinto episódio! A série mostra a que veio e mostra o quanto é boa e rica, culturalmente falando.

Gostei bastante como os personagens vão sendo mostrados, como a coisa evolui e como as histórias se desenrolam. O final da temporada, mostrando flashbacks do dia da tempestade foi de tirar o fôlego, também. Fora todas as manifestações culturais locais mostradas (Mardi Gras, os funerais, o dia de índios…).

Treme é uma série de poucas pessoas porque é muito densa, mas quem gosta da série acaba se apaixonando. Se você é do tipo de pessoa que assiste coisas paradas sem se importar, vai lá, vale a pena.

Aqui tá o cartaz promocional da segunda temporada:

Valeu e até a próxima!

Anúncios

Pôsteres

Vários pôsteres de séries tem saído na internet. Vou postar alguns aqui.

True Blood: Tem SEMPRE os pôsteres mais legais. Vou até começar a assistir.

"Amigos não deixam amigos beberem amigos."

"Desaparecido"

"Pegue seu refil."

"Não desejarás teu vizinho."

"Nada como uma boa xícara de Joe."

Nurse Jackie

Treme

United States of Tara

Gossip Girl

"A 'vaca' está de volta."

Cool, né?! Espero que tenham curtido, porque eu curti muito.

Valeu e até a próxima!

Treme, a nova série da HBO

Eu não ia assistir Treme (pronuncia-se ‘tɹəˈmeɪ’), mas eu fui lá no LiGado em Série e o Bruno Carvalho estava falando tão bem, mas tão bem, que eu decidi assistir.


Treme é um bairro de New Orleans, que foi devastado pelo furacão. A série se passa três meses após o desastre. Eu não prestei atenção na história. Eu estava completamente absorto pela cultura da série. Treme retrata as manifestações culturais de New Orleans com uma delicadeza e uma sensibilidade que eu nunca vi em nenhuma outra série. A música, a dança, as fantasias… tudo foi muito bem amarrado para nos prender. A série não é boa por causa da história. Ela é boa porque retrata Treme com uma realidade quase tangível.

É uma série parada. Tão parada que fez o episódio piloto, de 80 minutos, ficar massante. Se o primeiro episódio da série tivesse 40 minutos, Treme teria uma estréia perfeita. A abertura é um espetáculo a parte; ela mescla cenas reais da época do furacão, com imagens da série; tudo isso ao som de “The Treme Theme”. O jazz é presença constante na série. Tão importante que pode ser considerado um personagem.

Treme não é uma série para muitos, porque é cult, cult demais. Ela foi feita para aquele tipo de pessoa que admira culturas diferentes da sua, que vê nas manifestações culturais formas de expressão, de dizer o que pensa, de lutar por uma mudança. Treme é bom pra quem estuda Ciências Sociais. Há muita coisa a ser explorada. New Orleans exala cultura e se Treme manter o ritmo, tem tudo para ser, no mínimo, memorável.

Em New Orleans, até enterro vira festa.

Tudo indica que eu continuarei a assistir Treme. Eu vou postando as novidades.

Valeu e até a próxima!