Posts Tagged ‘Damages’

DAMAGES RENOVADA! =’)

É, DAMAGES FOI RENOVADA! UHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUL!

Eu já tinha me acostumado a sentir falta de Patty Hewes e Ellen Parsons. Tinha me conformado com o fato que não iria mais bater palma quando a Patty destruísse alguém, que não ia ver mais aquela mulher sentada atrás da mesa do escritório simples, porém intimidador.

Mas quando eu fui fazer minha visita diária ao Legendado, lá estava a notícia que fez meu coração disparar. Damages foi salva pela DirecTV. *-* Sempre achei a DirecTV parceiragem, devo dizer.

Em nota a imprensa, o FX (que é a dona de Damages, nos EUA) disse que está muito feliz por ter encontrado um modo de Damages continuar, mesmo que não seja com ela. Além disso, a FX disse que ela está muito orgulhosa pelo trabalho feito até agora em Damages e que ela espera ansiosa as duas novas temporadas.

É, Damages não foi renovada pra uma temporada só não. Serão mais dois anos, no mínimo, de Glenn Close e Rose Byrne. Uhul! \o/

Valeu e até a próxima!

Anúncios

Segundo Podcast

Ele, o Podcast Tudo em Série voltou. Depois de uma tentativa bem-secedida e uma falha, ele tá no ar.

Tá chique. Tem Grey’s, Private Practice, Damages e dicas de Bones. Participação da amabilíssima Sara Sabadim. Vale a pena conferir.

Pra baixar, o link é esse.

Valeu e até a próxima!

The Next One’s Gonna Go In Your Throat

Antes de qualquer coisa, quero dizer que esse post está IMENSO porque é meu post de despedida de Damages. Eu mereço isso. Só digo uma coisa: vale a pena ler até o final.

Enquanto escrevo esse post, a Marcha Fúnebre toca na minha cabeça. Estou em luto. Damages não pode acabar. Não pode! Mas, se acabou mesmo, e eu estou me conformando com isso, terá acabado com dignidade. E põe dignidade nisso.

Damages é aquela série que não poupa. Não fica de miserinha. Quando faz, faz bem feito e deixa a gente de boca aberta, como eu fiquei o episódio todo. Damages constrói e desconstrói imagens na sua cabeça a cada episódio.

Dito isso, vamos aos acontecimentos. Eu vou pegar o assunto, e falar tudo o que aconteceu relacionado e ele, e não na ordem cronológica. O episódio começa com um flashback, em que Patty lembra da época que estava grávida, em que era jovem, recém-formada em direito. No flashback Patty andava por uma fazenda, a mesma que aparecia no buraco na parede, e acariciava um cavalo. É, aquele cavalo maldito. Esse foi o dia em que ela perdeu sua filha, Julia.


Ao fim desses flashbacks, descobrimos que Patty perdeu o bebê porque quis. Ela tinha que escolher entre a vida no campo, com sua filha e o único homem que amou e a sua carreira. Sua gravidez era de risco e ela foi aconselhada pelo médico a ficar em repouso absoluto, caso contrário, perderia o bebê. Ela então decidiu sair para dar uma caminhada longa, o que causou a perda do bebê. Com isso vemos o quão longe Patty está disposta a ir pelo que ela quer, embora se arrependa dessa decisão. Quando perguntava por Ellen se tudo valeu a pena, ela fica quieta e lembra-se do dia em que foi visitar o túmulo da filha (primeira temporada).

Agora sobre a morte do David (noivo da Ellen) e filme do Frobisher. O filme sobre a vida do Frobisher foi apenas um artifício usado para trazer à tona o caso na morte do David. Ao tentar impressionar o ator que o interpretava, Frobisher acabou falando demais, deixando implícito que ele já havia matado alguém. O ator procurou Patty e com essa dica, eles chegaram a Wes Krulik (lembra na segunda temporada?).

Wes então procura Frobisher e faz com que ele se entregue e assuma a culpa pela morte de David. Mas não foi só Wes e Frobisher que voltaram de uma temporada anterior. Ray Fiske deu as caras no último episódio, atacando de conselheiro do Frobisher. Foi bom vê-lo novamente.

Wes pressionando Frobisher

Ray Fiske

Ray Fiske

Filho do Michael, agora. Depois de ter dado 500 mil dólares para a mulher do filho, Patty descobre que a mulher não foi embora, e pior: usou o dinheiro para dar um carro para Michael e comprar uma casa. Isso, obviamente a deixa puta da vida, e ela presta queixa contra a mulher por sedução de menores. Foi uma excelente cena, o confronto das duas. Embora a mulher tentasse se defender, Patty sempre a destruía mais e mais. Por mim eu transcrevia o diálogo aqui, mas vai ficar chato.


Transtornado com a atitude da mãe, Michael vai até seu apartamento, procurar por ela. Lá, ele encontra Ellen, que também está a procura de Patty. Na saída, Michael rouba o carro de Ellen. E o joga contra o carro de sua mãe. Sim, ele é o culpado pelo acidente de carro no primeiro episódio.



Agora sobre a mamãe Tobin. Marilyn começou meio apagada, fazendo aparições esporádicas, mas seu papel foi crescendo conforme a trama se desenvolvia. Ao chegar no season finale essa personagem se mostrou de suma importância para a narrativa.

Ela revelou o porquê do golpe. Louis Tobin deu o golpe para proteger Joe. Ele começou a fazer promessas que não podia cumprir e, para assegurar que essas promessas fossem cumpridas, Louis começou o golpe. Tudo girou em torno de Joe, desde o começo. Quando ele descobriu isso, ficou revoltado, começou a beber e pôs sua mãe para fora.

Marilyn tentou assumir a culpa por tudo, para livrar o filho, mas Patty não acreditou nela. Não sabendo lidar com a situação, Marilyn tira a própria vida, pulando da ponte. Era ela que se matava, não Tom, como eu tinha pensado.

O caso. O jogo começou: Winstone faz mesmo um acordo com Tom e Ellen. Quando tudo está quase pronto, Patty diz para Tom e Ellen desistirem do acordo, que se fosse necessário, o caso seria deixado de lado. Tom decide continuar com o caso, pelas costas de Patty.



Agora o assunto que eu queria evitar: a morte do Tom. Suas últimas horas foram dolorosas. Tudo começou no apartamento. Tom foi esfaqueado várias vezes pelo capanga do Joe. Machucado, Tom arrasta-se até a sua casa, onde pretende falar com sua família. Quando ele chega, Joe está lá e o mata. Isso, Joe matou Tom. Matou de um modo muito feio (afogou o homem na privada). No auge de sua loucura, Tom tirou de Patty e Ellen parte delas.


A cena da escada foi explicada. Patty falava com Ellen. Ela dizia que não entendia como aquilo tinha acontecido, se ela tinha mandado eles pararem com o acordo. Ou seja: Patty é completamente inocente.

Patty então vai atrás de Joe. Com as provas entregues por Winstone, que fugiu com o dinheiro, Joe é levado sob custódia e interrogado por Patty. Ela consegue tirar tudo dele, até a confissão da morte de Tom.

"We talked about confession."

Damages é assim. Complicada e simples. Eu só sei de uma coisa: vou sentir falta das personagens fortes e profundas, interpretadas por Glenn Close e Rose Byrne. Patty e Ellen foram feitas uma para a outra. Elas se completam, dão a outra o que lhe falta. Não importa o que será daqui pra frente, mas a história foi boa, muito boa até aqui.




Valeu e até a próxima!

You Were His Little Monkey

Esse episódio não foi o season finale, mas eu vou fazer um post digno de um, porque foi um episódio que eu vi duas vezes, de tão bom. Sério, é muito difícil falar dele. Seria melhor se eu só colocasse ele aqui e vocês vissem.

Primeiro quero falar da mamãe Tobin, a Marilyn. Que mulher mau caráter, né?! Fez o filho dela matar a própria filha, que, por acaso, é sua neta. E tudo isso sem nenhum remorso. Eu acho que ela e Patty são irmãs. o.O

Outro personagem que não merece uma estrelinha dourada é o Joe (finalmente decorei o nome dele). Ele é um personagem que foi bem-escrito porque mostraram nele como o dinheiro pode corromper uma pessoa. Antes dele saber do dinheiro escondido, ele detestava o pai, e sua fraude. Mas no segundo que ele descobriu que o pai tinha dinheiro escondido, virou o personagem principal, ficando debaixo dos holofotes.

Agora, what the fuck é aquele raio de buraco na parede e aquele cavalo? Aquilo tá me deixando maluco de curiosidade, já. Tá na hora de eles começarem a explicar já, né?! Vão deixar tudo pro último? Vacilo mesmo.


Depois vem o filho dela e diz que o neném é dele mesmo. Que se Patty quiser, ele manda o exame pra ela ver. A Patty fica mexida. Dá pra ver. Tadinha.

Depois a mulher do Michael vai atrás da Patty pra aceitar a oferta dela. Dinheiro em troca de sair da vida do Michael. As coisas funcionam tão facilmente. Essa cena, diga-se de passagem foi vista pela Claudia Croitor em NY, quando ela estava lá de férias. Dá uma olhada no post que ela fez.

Agora eu vou falar do tipo de coisa que te deixa pasmo com Damages. Presta atenção que a coisa é complicada. Tom foi uma das vítimas do Tobin e, por isso, ele não poderia trabalhar no caso. Ele então vazou essa informação para o juiz, para que ele fosse forçado a se demitir. Quando ele se demite, Winstone procura ele e diz ter informações que podem mandar os Tobin para a cadeia. Tom entrega, através da Ellen, as informações para Patty, que não sabia que ele havia forjado a própria demissão. É ou não assustador a habilidade dos caras de pensarem essas coisas?

Carta de demissão do Tom

Discurso de demissão do Tom

Descobrimos, também, que o advogado dos Tobin (Winstone) não é quem diz ser. Quando Joe descobre a farsa, ele se volta contra Winstone, o que o faz procurar Tom. Coincidentemente, ou não, foi Ellen quem descobriu que Winstone não era Winstone mesmo. O Tobin pai já sabia da farsa, mas nunca disse nada para a família.

Entre tudo isso e o dia do acidente da Patty há um espaço de três dias, onde tudo aconteceu.

3 dias depois

Como as coisas terminarão? Isso só saberemos segunda que vem, no episódio, provavelmente enorme, de Damages. Só sabemos de uma coisa: vai ser de tirar o fôlego, como todas as outras temporadas foram. Não há como se decepcionar com Damages.

Valeu e até a próxima!

Campanha ‘Save Damages’

Desde que o cancelamento de Damages foi anunciado pelo FX (luto), várias campanhas surgiram na internet, pedindo para a DirecTV salvar a série. Hoje, um dos membros da equipe InSubs fez um vídeo para a DirecTV, mostrando porque Damages não pode ser cancelada. Aqui o vídeo, ó:

Valeu e até a próxima!

All That Crap About Your Family

Ahhh, Damages. Não vou fazer um post apaixonado porque estou em luto por Damages. Como assim? A FX cancelou a melhor série em exibição? Anyway…

Episódio cheio de revelações. (Ooooooh) A família da Ellen era problemática. O pai vivia bêbado, era agressivo e tal… Daí a mãe dela pensou na possibilidade de dá-la para adoção, por isso o nome do episódio.

Patty estava na sua melhor forma. Pra começar, ela ficou bêbada quando pensou que Ellen estava manipulando toda a situação. Ela até pediu para Ellen sair da vida dela. A Patty estava mesmo machucada? Ela estava mesmo triste? Enfim… Patty estava no calibre do perigo.

Depois ela ficou muito puta com o Tom por ele ter desobedecido uma ordem. Tá aí a cara de ódio dela:

Depois ela mostrou a puta advogada que ela é e foi interrogar a Tessa. Mostrou as garras e atacou com vontade.

Tessa, então, decidiu ajudar com o que fosse necessário. Ela foi pra Antigua atrás das informações necessárias e lá ela foi assassinada, junto com o ajudante da Patty, que é parecido com o Aaron de 24 Horas.

Agora vamos ao Frobisher. A história vai se desenvolvendo, mas pra quê? Ao que parece, esse filme está na história só pra fuder a imagem da Patty. A interpretação dos atores do filme são excelentes. A mulher que faz a Patty é ótima, mas ninguém ganha do cara que interpreta o Ray Fiske. Foi PER-FEI-TO. Eu ri taaaaanto. O Frobisher mostrou o quem ele é, e largou a imagem de bonzinho que já tava irritando.

A mãe Tobin não é tão boa como pensávamos. Ela se mostrou meio bitch, também. Aliás, ela não evitou a morte de Tessa, porque não contou para o Tobin filho que ela era filha dele.

Só faltam dois episódios… UHU! Mas ao mesmo tempo que fico feliz, fico triste, porque será o series finale. =(

Valeu e até a próxima!

Ah, séries novas…

Bom, eu terminei de assistir Lipstick Jungle, larguei Cold Case e Damages (Luto, #SaveDamages) e Lost estão acabando, então decidi procurar novas séries para assistir. Escolhi três: Modern Family, Southland e Nurse Jackie. Agora eu vou falar da minha impressão:

1. Southland

Vou ter que escolher outra. Acabei de saber que Southland foi cancelada. Pois é, justo agora que fui assistir. Não faz mal… a série é legal, mas não é um Without a Trace da vida. É paradinha, mas eu ia dar uma chance a ela. Ia mesmo, mas não vou continuar a assistir uma série que vai acabar.


2. Modern Family

Tá, Modern Family é legal e tal… dá pra rir. Mas cadê aquilo tudo? Todo mundo fala que é a melhor comédia no ar hoje. Talvez eu não ame ainda porque tô no sétimo episódio, mas sei lá. Se for assim, tenho que dar várias chances a todas que abandonei nos primeiros cinco episódios. Mas enfim… vou continuar assistindo porque AMO a Sofia Vegara (Glória), que fez uma série que passou no SBT chamada Corretoras e que eu adorava. Gosto também da Haley, que fez a filha da Wendy em Lipstick Jungle.


O núcleo mais engraçado da série é, sem dúvida alguma, o do casal gay. São eles que me fazem rir. A cena da menininha de peruca foi incrível. Quase me mijei de rir. É.

Os criadores/roteiristas lidam muito bem com o assunto principal da série: as novas configurações da família. Eles usam situações rotineiras para mostrar como uma família grande e diferente lida com os problemas. E essa é a graça: são coisas comuns. A mãe maluca e superprotetora e o pai desligado e idiota. Como não rir? Bom, assistam Modern Family, vale a pena. É uma série com episódios pequenos (20 minutos), mas que alegram seu dia.

3. Nurse Jackie

Foi paixão a primeiro episódio. Pronto. Me fisgou e agora vou até o fim. Eu sabia que ia gostar, por isso enrolei tanto pra ver. Nas séries médicas (Grey’s Anatomy, House) você é levado a desprezar enfermeiras. E você acaba desprezando. É natural… Daí você vai e assiste Nurse Jackie. É quase instantâneo seu ressentimento com os médicos que te fizeram odiar as pobres moças que trabalham como cães e não recebem o crédito. Como a própria Jackie disse: “Os médicos estão aqui para fazer o diagnóstico. NÓS curamos.” E não duvido muito disso não. Elas que limpam os vômitos, dão banho, limpam as cagadas.

Tá certo que a Jackie é praticamente uma médica. Ela viu que o cara tinha uma hemorragia no cérebro só de olhar para ele. Ela é uma mulher forte, esforçada e que ama a profissão. Mas é viciada em Vicodin (não tinha nada melhor? Acho que se colocassem maconha ia ser mais engraçado e não seria plágio) e trai o marido. Trai de tirar a aliança do dedo. =O É bom ver uma personagem principal com um comportamento antagônico. Você se sente menos filho da p**a.

E o Dr. Cooper (Peter Faccineli, o Carslile de Crepúsculo e o Gregory Malina de Damages)? Muito canastrão. Engraçado mesmo. Meio idiota, arrisco dizer. Haha

Assistam, tenho certeza que vão gostar! ;D

Espero que tenha ajudado… Agora algumas notícias e promessas.

* Damages foi cancelada pelo FX, mas pode ser salva pela DirecTV. Tomara.
* Prometo colocar em dia The Good Wife e Nurse Jackie até semana que vem.
* Esse fim de semana coloco Modern Family em dia.
* Quem sabe não começo “The Tudors” esse mês ainda?
* Vou assistir “The Pacific”, só não sei quando.
* Já estou com Alice (da HBO) em mãos, devo assistir no fim de semana. UHU!

Bom, é isso… Valeu e até a próxima!