Posts Tagged ‘Cold Case’

Ah, séries novas…

Bom, eu terminei de assistir Lipstick Jungle, larguei Cold Case e Damages (Luto, #SaveDamages) e Lost estão acabando, então decidi procurar novas séries para assistir. Escolhi três: Modern Family, Southland e Nurse Jackie. Agora eu vou falar da minha impressão:

1. Southland

Vou ter que escolher outra. Acabei de saber que Southland foi cancelada. Pois é, justo agora que fui assistir. Não faz mal… a série é legal, mas não é um Without a Trace da vida. É paradinha, mas eu ia dar uma chance a ela. Ia mesmo, mas não vou continuar a assistir uma série que vai acabar.


2. Modern Family

Tá, Modern Family é legal e tal… dá pra rir. Mas cadê aquilo tudo? Todo mundo fala que é a melhor comédia no ar hoje. Talvez eu não ame ainda porque tô no sétimo episódio, mas sei lá. Se for assim, tenho que dar várias chances a todas que abandonei nos primeiros cinco episódios. Mas enfim… vou continuar assistindo porque AMO a Sofia Vegara (Glória), que fez uma série que passou no SBT chamada Corretoras e que eu adorava. Gosto também da Haley, que fez a filha da Wendy em Lipstick Jungle.


O núcleo mais engraçado da série é, sem dúvida alguma, o do casal gay. São eles que me fazem rir. A cena da menininha de peruca foi incrível. Quase me mijei de rir. É.

Os criadores/roteiristas lidam muito bem com o assunto principal da série: as novas configurações da família. Eles usam situações rotineiras para mostrar como uma família grande e diferente lida com os problemas. E essa é a graça: são coisas comuns. A mãe maluca e superprotetora e o pai desligado e idiota. Como não rir? Bom, assistam Modern Family, vale a pena. É uma série com episódios pequenos (20 minutos), mas que alegram seu dia.

3. Nurse Jackie

Foi paixão a primeiro episódio. Pronto. Me fisgou e agora vou até o fim. Eu sabia que ia gostar, por isso enrolei tanto pra ver. Nas séries médicas (Grey’s Anatomy, House) você é levado a desprezar enfermeiras. E você acaba desprezando. É natural… Daí você vai e assiste Nurse Jackie. É quase instantâneo seu ressentimento com os médicos que te fizeram odiar as pobres moças que trabalham como cães e não recebem o crédito. Como a própria Jackie disse: “Os médicos estão aqui para fazer o diagnóstico. NÓS curamos.” E não duvido muito disso não. Elas que limpam os vômitos, dão banho, limpam as cagadas.

Tá certo que a Jackie é praticamente uma médica. Ela viu que o cara tinha uma hemorragia no cérebro só de olhar para ele. Ela é uma mulher forte, esforçada e que ama a profissão. Mas é viciada em Vicodin (não tinha nada melhor? Acho que se colocassem maconha ia ser mais engraçado e não seria plágio) e trai o marido. Trai de tirar a aliança do dedo. =O É bom ver uma personagem principal com um comportamento antagônico. Você se sente menos filho da p**a.

E o Dr. Cooper (Peter Faccineli, o Carslile de Crepúsculo e o Gregory Malina de Damages)? Muito canastrão. Engraçado mesmo. Meio idiota, arrisco dizer. Haha

Assistam, tenho certeza que vão gostar! ;D

Espero que tenha ajudado… Agora algumas notícias e promessas.

* Damages foi cancelada pelo FX, mas pode ser salva pela DirecTV. Tomara.
* Prometo colocar em dia The Good Wife e Nurse Jackie até semana que vem.
* Esse fim de semana coloco Modern Family em dia.
* Quem sabe não começo “The Tudors” esse mês ainda?
* Vou assistir “The Pacific”, só não sei quando.
* Já estou com Alice (da HBO) em mãos, devo assistir no fim de semana. UHU!

Bom, é isso… Valeu e até a próxima!

Parenthood e mais

O Peter Krause ganha por metro corrido? Ele correu em Six Feet Under e corre em Parenthood. Nos primeiros segundos até pensei que um dos episódios de Six Feet tava aberto. Fui até me certificar se era Parenthood mesmo.

Tá, vamos à impressão da série. Não gostei. Não mesmo… joguei 50 minutos no lixo… até pulei umas partes, de tão chato que tava. Tem gente que gostou e tal, mas não é pra mim. É paradinha demais… família demais. Se for pra ver alguma com assunto família, assisto Brothers & Sisters.

Pois então, larguei. Nem vou ver o segundo, ou o terceiro. Parei por aqui.

;D

Troquei mesmo CSI por Cold Case. Sinto falta da Catherine. Acho que vou pedir pro Paul Torrent só por causa dela. E do Grissom, também.

;D

Vou dar mais uma chance pra Glee. A última.

;D

Hoje volta United States of Tara. E tem Damages, também. UHU!

;D

Quinta-feira voltam Grey’s Anatomy, Private Practice e Supernatural. UHU (2)!

Valeu e até a próxima!

CSI Crossover – Parte 3 e Cold Case

Como já foi dito, a terceira parte do crossover foi em Las Vegas. UHU! Mas esse episódio pode ser resumido em uma palavra: falta. Senti falta do Grissom, da Sara e do Warrick. Como assim? Como esse povo foi sair? DECEPÇÃO. Acho que senti tanta falta porque estou assistindo a segunda temporada na Record, daí os velhos tempos estão presentes em mim. Mesmo assim, vacilo os três terem saído.

O crossover terminou fraquinho, o foco desse foi a prostituição. A tal da Madeleine Briggs, que é a menina que deixou o bilhete pedindo ajuda, estava se prostituindo, por livre e espontânea vontade, enquanto a equipe dos CSIs queria encontrá-la. VA-CILO. Parece que a cafetinagem em LV é passada de mãe pra filho, né?! hahaha O tal do Langston não caiu mesmo nas minhas graças, como o Grissom, mal aê. A Catherine tá estranha, cabelo comprido e plásticas não fizeram bem a ela. Bom, resumindo: o crossover foi legal, teve uma história interessante, mas não foi aquele mega-evento que eu esperava. Parece que eu superestimei Jerry Bruckheimer. Os seasons finales da quarta e quinta temporada foram MUITO melhores, tá que o da quinta foi o Quentin Tarantino que escreveu/dirigiu.

;D

Cold Case agora. Série que tem como produtor executivo Jerry Bruckheimer, também. Então, ela estreiou hoje (19/03) no SBT, e eu tive que escolher entre ela e o CSI. Acabei escolhendo ela, já que o Paul me manda CSI com muito mais facilidade. Daí, lá fui eu… peguei meu travesseiro, meu edredom e deitei no sofá. Os 45 minutos do episódio passaram num piscar de olhos, coroados por “Have You Seen The Rain” no fim do episódio. Deu até vontade de ter os DVD’s. Poxa, Jerry, faz uma força, paga os direitos das músicas e lança os DVD’s… você é tão rico. Não ia nem fazer diferença. Mas enfim… estava eu deitado no sofá, me divertindo com Cold Case, quando o Justin Chambers (o Karev, de Grey’s Anatomy) aparece na tela, de terno preto e com a barba feita. Tava com cara de criança também, diga-se de passagem.
Mas foi isso, lembrei do quanto amo Cold Case, e vou trocar o CSI da Record fácil, por ela.

Bom, é isso. Valeu e até a próxima.